sexta-feira, 17 de junho de 2011

Um dos mais belos trajes da alma



O médico conversa descontraído com o enfermeiro e o motorista da ambulância,
quando uma senhora elegante chega, e de forma ríspida, pergunta: Vocês sabem
onde está o médico do hospital?
Com tranquilidade, o médico responde: Boa tarde, senhora! Em que posso ser
útil?
Impaciente, a mulher indaga:
- Será que o senhor é surdo? Não ouviu que estou procurando pelo médico?
Mantendo-se calmo, contesta ele:
- Senhora, o médico sou eu. Em que posso ajudá-la?
- Como?! O senhor?!?! Com esta roupa?
- Ah, senhora! Desculpe-me! Pensei que a senhora estivesse procurando um
médico e não uma vestimenta...
Oh! Desculpe, doutor! Boa tarde! É que...vestido assim, o senhor nem parece
um médico...
Veja bem as coisas como são...- diz o médico:
- As vestes parecem não dizer muitas coisas mesmo... Quando a vi chegando, tão bem vestida, tão elegante, pensei que a senhora fosse sorrir educadamente para todos, e
depois daria um simpaticíssimo "Boa tarde!"
Como se vê, as roupas nem sempre dizem muito...


***

Um dos mais belos trajes da alma é, certamente, a educação.
Educação que, no exemplo em questão, significa cordialidade, polidez, trato
adequado para com as pessoas.
São tantos ainda no mundo que não têm tato algum no tratamento para com os
outros!
Sofrem e tentam fazer os outros sofrerem com isso.
Parece que vivem sempre à beira de um ataque de nervos, centrados apenas em
si, em suas necessidades urgentes e mais nada.
O mundo gira ao seu redor e para lhes servir. Os outros parecem viver num
mundo à parte, menos importante que o seu.
Esses tais modos vêm da infância, claro, em primeiro lugar. Dos exemplos
recebidos da família em anos e anos de convivência.
Mas também precisam vir da compreensão do ser humano, entendendo todos como
seus irmãos.
Não há escolhidos na face da Terra. Não há aqueles que são mais ou menos
importantes. Fomos nós, em nossa pequenez de Espíritos imperfeitos, que
criamos essas hierarquias absurdas, aonde se chega ao cúmulo de julgar alguém
pelas roupas que veste.
Quem planta sorrisos e gentileza recebe alegria e gratidão, e vê muitas
portas da vida se abrindo naturalmente, através da força estupenda da
bondade e do amor cristão, agapé e incondicional.
O bem é muito mais forte que o mal.
O bem responde com muito mais rapidez e segurança às tantas e tantas
questões que a existência nos apresenta, na forma de desafios.
Ser gentil, ser cordial é receber a vida e as pessoas de braços abertos, sem
medo de agir no bem.
Ser bem educado é contribuir com a semeadura do amor na face da Terra,
substituindo, gradualmente, as ervas daninhas que ainda existem nesses
campos, por flores e mais flores de felicidade.
Ser fraterno, em todas as ocasiões, é vestir-se com este que é um dos mais
belos trajes da alma: a educação.


Então, Pedro aproximou-se dele, dizendo: Senhor, quantas vezes devo perdoar meu irmão quando ele pecar contra mim? Será que vai ser até sete vezes? Disse-lhe Jesus: Não te digo até sete vezes, mas setenta vezes sete. (Mateus 18,21-22)

Nenhum comentário:

Postar um comentário